Cuiabá registra 40 novos casos de HIV por mês; campanhas alertam sobre casos

Por Harlis Barbosa 22/05/2018 - 17:45 hs

Cuiabá registra 40 novos casos de HIV por mês; campanhas alertam sobre casos
imagem web

A coordenadora de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)/Aids da Secretaria Municipal de Saúde, Mariella Padilha, afirmou que a cada mês 40 novos casos de HIV são registrados em Cuiabá. O número de infectados em 2017, com relação a 2016 aumentou de 365 (2016) para 432 (2017), sendo a maioria casos de homens jovens. A Secretaria Municipal de Saúde e o Ministério da Saúde já iniciaram campanhas de conscientização e orientação sobre o vírus e outras doenças sexualmente transmissíveis.
 
De acordo com a coordenadora Mariella, nos últimos anos está sendo observado um aumento no número de infectados por HIV. Ela acredita que os avanços no tratamento da doença diminuíram a preocupação das pessoas com relação à proteção.

“Eu acredito que não se pode culpar a pessoa por não usar, até porque não se sabe o que se passa na cabeça dela no momento. Mas antes a epidemia tinha uma cara, na época que morreu o Cazuza, as pessoas tinham medo, então eu acredito que hoje, como as pessoas com HIV tem uma qualidade de vida, não morrem pela doença se seguirem o tratamento, que é todo gratuito pelo SUS, com acompanhamento de especialistas, com isso tudo eu acredito que as pessoas perderam o medo e com isso hoje temos esta epidemia diferente”, disse.

Mariella também disse que neste período de carnaval aumenta o número de infecções, já que as pessoas não costumam se preocupar quando vão se relacionar com um parceiro.

“Infelizmente no carnaval aumenta sim. Época de festa, tem muitas drogas envolvidas, as lícitas e ilícitas, e as pessoas na hora que vão namorar esquecem de usar o preservativo, correndo o risco de contrair o HIV ou outras DST’s”.

Os dados do Serviço de Assistência Especializada (SAE) de Cuiabá mostraram que em 2017 foram registrados 432 novos casos de HIV, enquanto em 2016 foram registrados 365. A maioria dos infectados ainda é do sexo masculino, 67,9%, enquanto a porcentagem de mulheres é 32,1%.

A Secretaria de Estado de Saúde também divulgou os números relacionados a HIV/AIDS em Mato Grosso entre os anos de 2010 e 2017. O número de homens infectados neste período foi 4.847 e o de mulheres foi 2.722. As faixas etárias com o maior número de infecções foram de 20 a 34 anos (com 2.105 casos) e de 35 a 49 anos (2.255 casos).

Para combater a transmissão da doença, as ações do IST da Secretaria Municipal de Saúde começaram no dia 16 de janeiro. Está sendo feita entrega de preservativos e gel, além de palestras nas unidades básicas de saúde e orientações em parques e rodovias.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou nesta terça-feira (6) o envio de mais de 100 milhões de preservativos para todo o país. De acordo com ele este quantitativo é relevante porque, como um dos motes da campanha é #vamoscombinar, o Ministério quer que os foliões de todo o Brasil, em conjunto com seus parceiros, se conscientizem da importância do uso de preservativos.  Para Barros, campanhas como essa, que se estenderão por todo o ano em diversas festas populares ao longo de todo o ano, irão possibilitar ao país reduzir não só os números de HIV e aids, como também de outras infecções sexualmente transmissíveis.