Caso Robson: Atleta Fernando se manifesta e pede ajuda a Bolsonaro

Em texto publicado nas redes sociais do jogador, Fernando diz ter tido o seu lado da história distorcido. O ex-motorista do volante, Robson, foi detido na Rússia há mais de 560 dias ao tentar entrar com um medicamento ilegal no país.

Por Harlis Barbosa 01/10/2020 - 10:43 hs
Foto: Imagens extraídas da internet
Caso Robson: Atleta Fernando se manifesta e pede ajuda a Bolsonaro
Montagem hbsportnews

Fonte: Correio Brasiliense

O volante Fernando Lucas Martins, do clube chinês Beijing Guoan, se manifestou por meio das redes sociais, na noite desta quarta-feira (30/9), após a repercussão pelos mais de 560 dias em que Robson Oliveira, ex-motorista do jogador, está preso na Rússia. Na publicação feita no Instagram, Fernando pediu ajuda ao presidente Jair Bolsonaro e atacou, sem citar diretamente, a Rede Globo, que fez reportagens sobre o caso que, segundo o jogador, insinuaram que ele teria "fugido da Rússia".

Robson foi detido quando o jogador atuava no Spartak Moscou. Ele havia sido contratado para ser motorista de Fernando e levava medicamentos para o sogro do volante, Willian Farias. No entanto, o remédio, Mytedom 10mg (cloridrato de metadona), era proibido no país e o ex-motorista foi preso sob a acusação de tráfico de drogas. Robson alega que não sabia que o medicamento era ilegal.

Em relação ao "caso do Robson", o jogador diz ter se manifestado, enfim, na tentativa de "ser verdadeiramente ouvido pela primeira vez". "Preferi não falar por algum tempo publicamente porque em todas as vezes que me coloquei à disposição, sem exceção, tive as informações que forneci manipuladas, omitidas e distorcidas por interesses que não eram o de mostrar ao público o que houve de forma imparcial", introduziu.

O volante diz que muitas das informações veiculadas são "mentiras" e que o jogador estaria ajudando o ex-motorista arcando, por exemplo, com os honorários dos advogados. "Além disso, mandamos dinheiro para o Robson na prisão para que ele compre itens necessários no seu dia a dia", acrescentou Fernando.

O jogador também divulgou fotos do que diz serem comprovantes de dinheiro enviado a Robson e pagamentos de advogados de defesa para o ex-motorista (veja mais abaixo).

Em reportagem exibida em abril no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, entretanto, Cristiane Teixeira, ex-funcionária de Fernando, afirmou que o jogador tinha conhecimento de que o medicamento era proibido na Rússia. No entanto, Fernando não teria dado amparo ao ex-funcionário após a prisão.

No texto, Fernando convocou, ainda, um mutirão nas redes sociais para pedir ajuda ao governo brasileiro e marcou o perfil oficial do Bolsonaro na publicação.

"Estou fazendo o que está ao meu alcance para ajudar o Robson a provar sua inocência, mas a questão é extremamente complexa e precisa de um envolvimento, de uma força maior, no caso a do governo brasileiro. Tentei entrar em contato diretamente com deputados, senadores, mas não obtive êxito. Por isso, convido vocês a realizarmos também um movimento para entrar nas redes sociais do presidente Bolsonaro e de outras autoridades brasileiras pedindo para que elas intervenham efetivamente no caso do Robson", ressaltou.

Por fim, o Volante diz também fazer parte do movimento 'Justiça pelo Robson' e diz querer que o ex-funcionário saia da prisão o mais rápido possível. “Vamos canalizar nossas energias para fazer essa questão ser tratada pelo congresso, o que é a única coisa que realmente pode ajudar a questão a evoluir de forma positiva”, finalizou.