Em Mato Grosso, 42 municípios estão sem delegado de polícia

Cidades como Aripuanã e Colniza - 949 km e 1042 km de Cuiabá, respectivamente - que juntas são maiores que o Estado do Rio de Janeiro, tem apenas um delegado,

Por Harlis Barbosa 17/10/2019 - 08:47 hs

Em Mato Grosso, 42 municípios estão sem delegado de polícia
Montagem hbsportnews

 

A Polícia Judiciária Civil (PCJ), em Mato Grosso, trabalha com um número reduzido de pessoal. Ao todo são 2970 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães. O delegado geral da PCJ-MT, Mário Dermeval de Resende, afirmou em entrevista ao jornalista Antero Paes de Barros, na rádio Capital FM, que o efetivo ideal é o dobro do atual. “O número ideal de policiais seria o dobro do que temos, cerca de 6 mil policiais para atender todas unidades de forma coerente e sanar problemas como o desenvolvimento de cidade do médio norte. Nova Mutum, Sorriso e Lucas do Rio Verde, praticamente, têm o mesmo efetivo de dez anos atrás e a cidade quadruplicou de tamanho e continua num crescimento chinês”, constatou.


A maior preocupação é em relação a falta de delegados. Segundo o Mário de Resende, hoje, 30%, 42, dos 141 municípios mato-grossenses, estão sem delegados de polícia.”Temos 187 delegados na ativa. Em cinco anos, perdemos 70 profissionais que se aposentaram. O número ideal para Mato Grosso é de 400 delegados”, enumerou Mário de Resende. A insegurança em relação às novas regras na aposentadoria está provocando a saída dos profissionais.


De acordo com o delegado geral, a perspectiva é de reduzir ainda mais até o final do ano. “ O que mais assusta é que temos 24 delegados aptos à aposentadoria e que, provavelmente, devem sair até de 2019. Situações como a regional de Barra do Garças (500 km de Cuiabá) que tem oito delegados, vamos perder cinco e vão ficar três, até dezembro. Há necessidade de nomeação de novos profissionais”, ressaltou Resende.. Das 152 unidades policiais distribuídas no Estado, 16 estão com as atividades suspensas por falta de efetivo.


Cidades como Aripuanã e Colniza - 949 km e 1042 km de Cuiabá, respectivamente -  que juntas são maiores que o Estado do Rio de Janeiro, tem apenas um delegado, O estado do Rio de Janeiro tem 450 delegados. “Nós temos um déficit de investigadores e escrivães, situação um pouco mais complexa porque não há concurso público em andamento. Vamos ter que fazer um concurso a previsão para lotação de todos os cargos é de dois anos”.


Cadastro de Reserva
Para reverter o impacto na segurança pública do estado,  a Polícia Judiciária Civil aguarda a convocação dos delegados que estão no cadastro de reserva do concurso público do setor. “Estamos otimista com a postura do governo e acredito que tenhamos nos próximos meses uma surpresa com o chamamento dos que estão em cadastro de reserva”, disse o delegado geral.
A remuneração em Mato Grosso, uma das maiores do país, é um atrativo. “As condições de trabalho em Mato Grosso são diferenciadas, são surreais e o delgado merece um boa remuneração. O salário é de  R$ 24 mil”, pontuou o Mário Resende.