Escrivães e investigadores da Polícia Civil protestam contra texto da reforma da Previdência

Por Harlis Barbosa 26/06/2019 - 08:26 hs

Escrivães e investigadores da Polícia Civil protestam contra texto da reforma da Previdência
Montagem hbsportnews

 

Cerca de 500 escrivães e investigadores da Polícia Civil fizeram uma manifestação no início da tarde desta terça-feira (25), em frente à Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), no Centro Político Administrativo. Eles reivindicam por mudanças no texto da reforma da Previdência.

Conforme explicou a presidente do Sindicado dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso (Sinpol), Edileuza Mesquita, a categoria não concorda com o tratamento diferenciado ente a Polícia Civil e as Forças Armadas. 

"Nós estendemos que tem que existir a reforma na previdência, mas que trate a segurança pública de forma isonômica, que dê o mesmo tratamento para todas as polícias. Então nosso protesto hoje foi em nível nacional. Todas as polícias civis de todos os estamos protestando contra o texto da reforma da previdência que prejudica a aposentadoria dos policiais civis", disse. 

Entre os prejuízos citados pela presidente estão a retirada de pensão para os familiares em caso de morte fora da atividade funcional e a exclusão de reajustes salariais no decorrer da carreira.

"A única coisa que mantém igual entre as policias é a questão da atividade risco, que as polícias civis e militares continuam sendo atividade risco, mas os demais eles fragmentam totalmente deixando os policiais de natureza militar com os direitos e tirando os nossos," explicou.    

Para além da paralisação de hoje, uma caravana está marcada para os dias 1, 2 e 3 de julho, em que os policiais devem ir a Brasília em uma manifestação com todos os policiais civis do Brasil.

Fonte: Gazeta Digital