A maldição da Copa América: cortado, Neymar está fora da competição pela terceira edição consecutiva

Neymar saiu chorando do campo durante a comemoração do gol do atacante Richarlison.

Por Harlis Barbosa 06/06/2019 - 09:41 hs
Foto: Imagens extraídas da internet
A maldição da Copa América: cortado, Neymar está fora da competição pela terceira edição consecutiva
Montagem hbsportnews

 

A Seleção disputou a Copa América de 2015 sem Neymar a partir da terceira rodada da fase de grupos. Foi suspenso depois de agredir o zagueiro Murillo da Colômbia. Deixou Dunga na mão contra a Venezuela e na eliminação diante do Paraguai nas quartas de final.

O capitão do tetra não contou com ele na edição centenária disputada nos Estados Unidos, em 2016. A CBF cedeu ao pedido de férias de quem, na verdade, não tinha simpatia pelo técnico que o deixou fora da Copa de 2010. Neymar até foi ao torneio, porém, para testemunhar do camarote o fracasso do desafeto ao lado do amigo Lewis Hamilton e do cantor Justin Bieber. 

 Neymar também não participará da edição de 2019 aqui no Brasil, a partir do próximo dia 14. O camisa 10 está oficialmente cortado depois de sair contundido aos 21 minutos do primeiro tempo da vitória por 2 x 0 sobre o Qatar na noite desta quarta-feira, no Mané Garrincha. Arrisco dizer que Vinicius Junior, Lucas Moura ou Dudu, nesta ordem, são os favoritos a preencher a vaga.

Neymar saiu chorando do campo durante a comemoração do gol do atacante Richarlison. Foi para o vestiário. De lá, embarcou em uma van a caminho do Home Hospital Ortopédico e Medicina Especializada, na 613 Sul.apurou se que, enquanto o camisa 10 era examinado pelo médico Rodrigo Lasmar no vestiário, o colega de profissão dele Paulo Lobo — referência na capital e no mundo da medicina esportiva — corria para organizar a logística até a L2 Sul.

O jogador deixou o estádio sabendo que havia sofrido entorse no tornozelo direito. A recuperação seria longa demais para um torneio tão curto. Deixou o Mané Garrincha ao lado do pai praticamente sabendo que era o fim da linha. Questão de tempo para ser oficialmente cortado.

O coordenador de seleções Edu Gaspar e Tite tentaram disfarçar ao máximo no jogo de cena durante a entrevista coletiva. Tentaram sem êxito exalar otimismo em uma sala de conferência esvaziada. Quando deixaram o auditório a caminho do vestiário, conheciam o diagnóstico oficializado às 2h01 desta maduragada pelo site da CBF. Os exames de imagem acusaram a gravidade da lesão. O texto diz: “Neymar não terá condições físicas e tempo de recuperação suficiente para para participar da Copa América.

Não há condição clínica e física agora. Não existia psicológica também após Neymar ter dado soco na cara de um torcedor na final da Copa da França; perder a braçadeira de capitão para Daniel Alves; derrubar um menino da Seleção Sub-20 no chão após levar caneta em um treino na Granja Comary; dar sustos com dores no joelho; e a gota d’água: a acusação de estupro e/ou agressão no relacionamento com uma mulher no dia 15 de maio, em Paris. Os desdobramentos não param de ampliar o escândalo. Vazamentos de vídeos, intimação para depor nesta sexta-feira, no Rio, tiroteio entre advogados das duas partes, acusações de supostas extorções.

O que começou errado terminou errado no Mané Garrincha. Neymar não deveria ter sido escalado para enfrentar o Qatar. Tinha de ser afastado desde o último sábado para resolver o gravíssimo problema pessoal, mas preferiu usar a Seleção como abrigo na tempestade. A ponto de a Polícia entrar na Granja Comary. O correto seria não enfrentar o Catar. Entretanto, é garoto-propaganda do maior banco do país árabe, o Qatar National Bank. É funcionário do PSG, que pertence ao fundo de investimentos QSI — Qatar Sports Investments. Cumpriu o contrato. Fez o comercial.

No fim das contas, os 21 minutos em campo custaram muito caro. A maldição da Copa América voltou a atormentá-lo. Disputou apenas uma do início ao fim da campanha verde-amarela, a de 2011, na Argentina. O Paraguai eliminou o Brasil nos pênaltis nas quartas de final. Neymar pode até voltar a disputar o torneio na edição do ano que vem. Por enquanto, é hora, ou melhor, passou da hora de colocar a vida pessoal em ordem. Deveria estar focado só nisso desde o último sábado. Não será fácil.