Governo do Estado atende MPE e veta festival na Arena Pantanal

Ministério Público Estadual havia enviado uma notificação recomendatória ao Excutivo

Por Harlis Barbosa 22/03/2019 - 09:07 hs

Governo do Estado atende MPE e veta festival na Arena Pantanal
Montagem hbsportnews

O Governo do Estado comunicou na manhã desta quinta-feira (21) que não vai liberar a Arena Pantanal para a festa de aniversário de 300 anos de Cuiabá, que ocorreria nos dias 06, 07 e 08 de abril.

Segundo a Secretaria Adjunta de Comunicação, a decisão foi tomada em comum acordo com a Prefeitura de Cuiabá e seguindo a recomendação do Ministério Público Estadual. 

O evento será realizado pela Prefeitura no Sesi Papa.

“Tivemos a notificação do promotor de Justiça Ezequiel Borges, do Ministério Público Estadual. A possível judicialização do evento traria riscos de a festa ser cancelada em cima da hora, o que frustraria a população local e as pessoas que muitas vezes vem de longe para assistir ao espetáculo”, afirmou o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Allan Kardec.

A Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso entende que a Arena é multiuso e que está preparada para receber shows dentro de um calendário possível. No calendário anual poderão ser realizados diversos eventos.

O problema, segundo o Executivo, é que a data do evento coincide com a semifinal e final do campeonato estadual, e início dos jogos da Série B.

Durante toda a semana, federações esportivas do Estado manifestaram insatisfação com o uso da Arena para a realização do evento, alegando preocupação com a preservação do gramado e transferências de datas dos jogos já programados para a semana do aniversário da cidade.  

Para evitar o risco de Cuiabá receber sanções, como a perda de um ano de jogos da 1° fase do Campeonato Brasileiro Série B, além do risco de a festa de aniversário ser cancelada a poucos dias do evento em caso de judicialização da questão, foi tomada a decisão de não utilizar o espaço.   

“Tivemos a notificação do promotor de Justiça Ezequiel Borges, do Ministério Público Estadual. A possível judicialização do evento traria riscos de a festa ser cancelada em cima da hora, o que frustraria a população local e as pessoas que muitas vezes vem de longe para assistir ao espetáculo”, afirmou o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Allan Kardec.