Prefeito Esvandir Antonio Mendes “VANDO” (PSB) de Colniza volta ao cargo após 22 dias de afastamento.

Por Harlis Barbosa 22/09/2017 - 17:24 hs

Neste dia 22 de setembro às 11h59min o Tribunal de Justiça do Mato Grosso o Juiz Dr. Ricardo Frazon Menegucci da vara única de Colniza através de um mandado de segurança retorna ao cargo o prefeito eleito pelo povo Vando, que esteve afastado por improbidade administrativa por 22 dias.

 

Neste período a cidade ficou sob o comando do seu vice Celso G. Leite (PT) que tentou do seu jeito gerir esta coisa pública conturbada demais por aqueles que não estão preocupados com estagnação que este tipo de processo provoca no município, neste momento o Vice-Prefeito está na estrada retornando de São Paulo onde resolveu assuntos de família e também na capital Cuiabá onde tratou de assuntos de interesse do município.

Na próxima segunda o primeiro dia útil depois da decisão do juiz o Vando já estará sentado de novo na cadeira do executivo desta cidade.

Que Vando é o prefeito de fato e de direito isto é sem dúvida uma verdade, que até foi explicitada pelo Governador em passagem recente pelo município, agora que as coisas voltarão ao normal, provavelmente o município deverá tomar seu rumo natural.

Parabéns Dr. Ricardo F. Menegucci pela sensibilidade, por entender que um erro primário não pode estagnar a vida de mais de quarenta mil munícipes.

Em todos os lugares onde o prefeito foi afastado neste país continental, a segunda chance possibilitou que o gestor refletisse, e retomado os rumos de sua gestão fazendo até o fim jus ao poder que o povo lhe deu, não muito longe daqui em Tangará da Serra o então prefeito Fabio Junqueira foi afastado por mais de um ano pela câmara de vereadores, e quando voltou mudou seu jeito de governar e aquela cidade maravilhosa que abriga mais de cem mil habitantes, o elevou ao ponto de ser reeleito e ainda hoje é o atual gestor daquele lugar, pelo Brasil está cheio de histórias deste tipo... Felizes seriamos se todos os problemas da administração pública fossem somente pedaladas fiscais é claro que estas são uma improbidade, mas penso que os legisladores podem investigar sem afastar o executivo piorando as coisas, porque nem sempre o reserva poderá estar aquecido no momento que for exigido.

Estivemos conversando com Esvandir durante os dias do seu afastamento e ele nos disse várias coisas, mas uma eu guardei viva na minha lembrança... Disse-nos que ele ama esta cidade e que talvez a ânsia de fazer tudo no menor tempo possível o tenha traído, ainda com os olhos marejados lamentou que sua empolgação tivesse lhe trazido o desconforto provocado pela indiferença de amigos construídos neste longo tempo que reside em Colniza.

Mas, a empolgação que levou Vando a errar é a mesma que levou na fatídica sessão os legisladores a errar, ferindo a constituição estadual e a lei orgânica municipal quando afastou o gestor, e submeteu o Vice Celso ao martírio de ter que exonerar companheiros de caminhada, lições como estas nos diz que toda vez que espalhamos perdemos muito, é óbvio e notório que se unirmos em prol de Colniza no final todos ganham.

Ultimamente aqui tem revelado políticos inteligentes e nota se que dentro de pouco tempo esta fase do cabo de guerra será passado, em uma carta que li a qual dizia que representava o pensamento de todos os prefeitos da região noroeste, a tecla que mais bateram foi nesta coisa de afastar ou derrubar prefeito em Colniza, a mesma dizia em outras palavras que devemos resolver os nossos problemas sem muito alarde, entre nós, sem externar muito os nossos, pois segundo a carta isso que acontece em Colniza já está desgastado e denigre a imagem do município, nesta crise todos os municípios têm problemas, mas só Colniza tem que fazer tanto barulho.

 

Seja bem vindo de volta Esvandir e toda sorte do mundo.