ANIVERSÁRIO: ALCOÓLICOS ANÔNIMOS 76 ANOS

ANIVERSÁRIO ALCOÓLICOS ANÔNIMOS 76 ANOS

Por Harlis Barbosa 29/04/2017 - 19:59 hs

Existem alguns tratamentos que são atualmente utilizados na recuperação de alcoólatras, sendo que uma das alternativas mais eficazes de tratamento é proposta por Alcoólicos Anônimos; uma irmandade de homens e mulheres que compartilham entre si, suas experiências, forças e esperanças. 

Foi no dia 10 de Junho de 1935 na cidade de Akron, Estado de Ohio, nos Estados Unidos da América que dois homens, Bill W. (corretor da bolsa de valores de Nova York) e o Dr. Bob (Robert Smith – médico cirurgião) oficializaram a fundação de A.A. Esse dia foi escolhido porque o Dr. Bob finalmente tomou o seu último gole de bebidas alcoólicas e manteve-se sóbrio até a data de sua morte. 

Desde então, os princípios utilizados por Alcoólicos Anônimos passaram a ser uma nova forma de recuperação. Após ter sido formado o primeiro grupo de recuperandos naquela cidade, A.A. chegou à cidade de Nova York onde mais alguns Grupos foram abertos e a Irmandade se desenvolveu. (É importante lembrar que nessa mesma época os Estados Unidos viviam com a lei seca, onde o uso de substâncias alcoólicas era proibido e criminoso). 

O número de homens e mulheres ingressantes, “desejosos em parar de beber” recorriam às sugestões oferecidas por Alcoólicos Anônimos que nada cobrava como taxas ou mensalidades. As reuniões de Grupos transcorriam anonimamente com depoimentos de alcoólatras que contavam uns para os outros as suas experiências nefastas que passavam com o uso abusivo da bebida e falavam de suas dificuldades em sair da dependência. Por outro lado os que conseguiam ficar abstêmios pelo menos vinte e quatro horas falavam da importância em renová-las, pois sentiam voltar as esperanças e melhoravam a sua autoestima com a sobriedade continuada. 

Tais depoimentos criavam um vínculo curioso. Eles notavam que quando compartilhavam as suas dificuldades com outros alcoólatras adquiriam forças e esperanças para também vencer o alcoolismo (só depois considerada doença pela O.M.S. com sede em Genebra – Suíça). 

Alcoólicos Anônimos conseguiu montar um Escritório de Serviços em Nova York para facilitar a sua comunicação. As cartas eram as formas mais utilizadas para informar e ser informado. Assim mesmo elas levavam muito tempo para chegar aos destinatários, muitas vezes impossibilitando até que as notícias chegassem. Os livros também eram grandes aliados para as instituições, mas o alto custo para serem editados dificultava o avanço da Irmandade. Algum tempo mais tarde A.A. conseguiu a primeira edição de seu principal livro que recebeu o nome de - Alcoólicos Anônimos - (várias vezes reeditado e até hoje usado e considerado um dos mais completos sobre o assunto). 

O número de beneficiados com o programa sugerido por A.A. foi crescendo e espalhou-se por todo o país chegando ao Canadá e mais tarde a outros países americanos e europeus. 

Hoje, quando completa 75 anos de existência, Alcoólicos Anônimos está presente em mais de 210 países de todo o mundo. 

Bill W. e o Dr. Bob deixaram uma farta literatura específica que ainda hoje ela é utilizada para facilitar o entendimento da doença e do doente e transmitir a mensagem de Alcoólicos Anônimos para aqueles que queiram (têm desejo) parar de beber. 

Entre os legados deixados pelos co-fundadores, “Os doze Passos de A.A.” são reconhecidamente eficazes e propõem uma mudança radical na forma de viver, permitindo os alcoólicos um maior entendimento dos motivos que os levavam a beber compulsivamente. 

Os membros de A.A. que conhecem e seguem os seus princípios sentem-se felizes e consequentemente eliminam de suas vidas a necessidade do uso de substancias alcoólicas. 

“EVITAR O PRIMEIRO GOLE DE QUALQUER BEBIDA ALCOÓLICA”, frequentar as reuniões dos Grupos e procurar evitar os lugares de ativa são sugestões básicas para o começo da recuperação. 

Até bem pouco tempo, Alcoólicos Anônimos foi visto como uma Irmandade discriminada e por isso até hoje o “anonimato” é respeitado. Entretanto, A.A. conseguiu superar essa imagem destorcida e hoje merece o respeito de toda a sociedade. A classe de profissionais (médicos, psicólogos) recomenda aos seus pacientes para que frequentem as reuniões mesmo continuando os tratamentos específicos. 

Os “Doze Passos” saíram do domínio da Irmandade de A.A. tornando-se domínio público mundial e hoje são utilizados por inúmeras entidades de mútua ajuda (N.A., J.A., F.A. e tantas outras). 

O falecido Papa João Paulo II em pronunciamento público declarou que os “Doze Passos” de A.A. eram por ele reconhecido como uma das “grandes maravilhas do século” e recomendou mesmo aos não alcoólicos, a sua utilização para a reestruturação da vida material e espiritual.